caveiras contadoras

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Observatórios captam imagem detalhada de Andrômeda








Dois observatórios da Agência Espacial Europeia (ESA) uniram forças para mostrar a galáxia de Andrômeda sob uma nova luz. O telescópio Herschel mostra anéis de estrelas em formação no presente, a imagem mais detalhada de Andrômeda já feita em comprimentos de onda de infravermelho, e o XMM-Newton mostra a morte de estrelas brilhantes em raios-X pelo espaço.

Durante o Natal de 2010, os observatórios espaciais da ESA, Herschel e XMM-Newton-focaram o mais próximo da grande galáxia espiral M31. Esta é uma galáxia similar à Via Láctea – ambas contêm várias centenas de bilhões de estrelas. Todas as imagens mais detalhadas da galáxia de Andrômeda mostram claramente que mais estrelas estão a caminho.

Suscetível à luz infravermelha, o Herschel vê nuvens de poeira fria e gás onde as estrelas podem se formar. Dentro dessas nuvens são muitos os casulos cheios de poeira contendo formação de estrelas, cada estrela se puxando junto ao lento processo gravitacional que pode durar centenas de milhões de anos. Uma vez que a estrela atinge uma densidade suficientemente alta, ela começará a brilhar em comprimentos de onda ópticos. Ele sairá da sua nuvem de nascimento e se tornará visível aos telescópios comuns.

Muitas são as galáxias em espiral em formação, mas Andrômeda é interessante porque mostra um grande anel de poeira, a cerca de 75 mil anos-luz, circundando o centro da galáxia. Alguns astrônomos especulam que este anel de poeira pode ter sido formado em uma recente colisão com outra galáxia. Esta nova imagem do Herschel revela ainda mais detalhes, com pelo menos cinco anéis concêntricos de poeira de formação de estrelas visíveis.

Sobreposta à imagem infravermelha está uma visão de raios-X tomadas quase em simultâneo, pelo observatório da ESA, XMM-Newton. Considerando que o infravermelho mostra o início da formação de estrelas, os raios-X geralmente mostram os parâmetros de evolução estelar.

O XMM-Newton destaca centenas de fontes de raios-X dentro de Andrômeda, muitas delas agrupadas em torno do centro, onde as estrelas são encontradas naturalmente mais aglomeradas. Algumas destas são ondas de choque e restos de rolamento, espalhadas no espaço, de estrelas que explodiram, outras são pares de estrelas “abraçadas” em uma luta gravitacional até a morte.

Nestes mortais abraços, uma estrela já morreu e puxa o gás da sua companheira ainda viva. Como o gás cai no espaço, este se aquece e emite raios-X. A estrela viva será finalmente esgotada, tendo grande parte da sua massa arrancada pela forte gravidade de seu parceiro mais denso. Como o cadáver estelar se envolve neste gás roubado, ele poderia explodir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ULTIMAS POSTAGENS

Postagens populares

Seguidores

Total de visualizações de página

MELHORES DO YOU TUBE

Loading...

Arquivos do blog

A TERRA E A LUA AGORA

Minha lista de blogs