caveiras contadoras

segunda-feira, 11 de junho de 2012

MERLIN


Os primeiros registros existentes onde consta Merlin (Armes Prydein, Y Gododdin) são do começo do século 10, nele consta que Merlin era um mero profeta, mas o papel dele foi evoluindo gradualmente como mago, profeta e conselheiro, ativo em todas as fases da administração do reinado do Rei Arthur. Ele foi aparentemente chamado ao nascer com o nome de Emrys num local chamado Caer-Fyrddin (Carmarthen). Só depois ele tornou-se conhecido como Merlin, uma versão latinizada da palavra gaulesa, Myrddin. Merlin era o filho bastardo da Princesa Real de Dyfed. Porém, o Rei, pai da princesa, Meurig ap Maredydd ap Rhain, não é encontrado nas genealogias tradicionais deste reino e provavelmente era um sub-rei da região que limita Ceredigion. O pai de Merlin, é dito, era um anjo que tinha visitado a Princesa Real e tinha a deixado com a criança. Os inimigos de Merlin diziam que o pai dele era um incubus, um espírito mau que tem relacionamento com mulheres enquanto dorme. As pessoas suspeitavam que a criança "diabólica" (Merlin) veio para ser um contra peso à boa influência que Jesus Cristo teve na terra. Merlin, felizmente, foi batizado cedo em vida, é contado que este evento negou o mal na natureza dele, mas os poderes do lado esquerdos ficaram intactos nele. A história original foi inventada para salvar a mãe dele do escândalo que teria acontecido presumivelmente a ligação dela com Morfyn Frych (o Sardento), Príncipe secundário da Casa de Coel, ato de conhecimento público.

A lenda nos conta que a retirada romana da Inglaterra e a usurpação do trono dos herdeiros legítimos, fez com que Vortigern fugisse da saxônia e fosse para Snowdonia, em Gales, na esperanças de construir uma fortaleza em uma montanha em Dinas Emrys onde ele poderia estar seguro. Infelizmente, a construção vivia desmoronando e os feiticeiros da casa de Vortigern lhe falaram que um sacrifício de uma criança órfã resolveria o problema. Uma pequena dificuldade foi isto pois aquelas tais crianças eram bastante difíceis de serem encontradas. Felizmente para a fortaleza de Vortigern, Merlin era conhecido por não ter nenhum pai humano e o disponibilizaram.

Antes que o sacrifício pudesse acontecer, Merlin usou os grandes poderes visionários dele e atribuiu o problema estrutural a uma piscina subterrânea no qual viveu um dragão vermelho e um dragão branco. O significado disto, de acordo com Merlin, era que o dragão vermelho representou os Bretões, e o dragão branco, os Saxões. Os dragões lutaram, dragão branco levou a melhor, no princípio, entretanto o dragão vermelho empurrou o branco para trás. O significado estava claro. Merlin profetizou que Vortigern seria morto e o trono seria tomado por Ambrosius Aurelianus, depois Uther, depois o grande líder, Arthur. Caberia a ele empurrar os Saxões para trás.

De acordo com a profecia, Vortigern foi morto e Ambrosius tomou o trono. Depois, Merlin parece ter herdado o pequeno reino do avô dele, mas abandonou as terras dele em favor da vida mais misteriosa para a qual ele se tornou tão bem conhecido (a vida druídica). Depois que 460 nobres britânicos foram massacrados na conferência de paz, como resultado do artifício saxônio, Ambrosius consultou Merlin sobre erguer um marco comemorativo a eles. Merlin, junto com Uther, levou uma expedição para a Irlanda para obter as pedras do Chorea Gigantum, o Anel do Gigante. Merlin, pelo uso dos poderes extraordinários dele, devolveu as pedras para um local, um pouco a ocidente de Amesbury, e os reergueu ao redor da sepultura da massa dos nobres britânicos. Nós chamamos este lugar Stonehenge.

Após a sua morte, Ambrosius teve como sucessor o seu irmão, Uther, quem, durante a perseguição dele a Gorlois, conheceu a esposa irresistível de Gorlois, Igraine (Ygerna ou Eigr em alguns textos), Uther voltou para as terras em Cornwall, onde foi pedir para Merlin ajuda-lo a possuir Igraine, e para Merlin ajuda-lo, Uther teve que fazer um trato com Merlin de que a criança que nascesse da união de Uther com Igraine fosse dada a Merlin para ele se torna o tutor da criança, Uther aceitou e foi ajudado por Merlin que o transformou na imagem de Gorlois. Uther entrou no castelo de Gorlois e conseguiu enganar Igraine a pensar que ele era o marido dela, e engravidou-a, concebendo ela uma criança, Arthur. Gorlois, no entanto não sabendo no que iria acontecer, saiu para encontrar-se com Uther no combate, mas ao invés, foi morto pelas tropas de Uther, enquanto Uther se passava por Gorlois.

Depois do nascimento de Arthur, Merlin se tornou o tutor do jovem menino, enquanto ele crescia com o seu pai adotivo, Senhor Ector (pseudônimo Cynyr Ceinfarfog). No momento definindo da carreira de Arthur, Merlin organizou uma competição da espada-na-pedra (a espada era Caliburnius e não a Excalibur, Excalibur veio após Arthur quebrar Caliburnius) pela qual o rapaz se tornou o rei. Depois, o mago conheceu a mística Dama do Lago na Fonte de Barenton (na Bretanha) e a persuadiu a presentear o Rei com a espada mágica, Excalibur. Nos romances, Merlin foi o criador da Távola Redonda, e esta sempre ajudando e dirigindo os eventos do rei e do reino Camelot. Ele é pintado por Geoffrey de Monmouth, ao término da vida de Arthur, acompanhando Arthur ferido para a Ilha de Avalon para a curar das feridas dele. Outros contam como tendo se apaixonado profundamente por Morgana, a meia irmã de Arthur, e ele concordou em lhe ensinar todos seus poderes místicos. Ela ficou tão poderosa que as habilidades mágicas dela "excederam" às de Merlin. Determinou que não seria escravizada por ele, e prendeu-o em um calabouço, uma caverna semelhantemente a uma prisão. Assim a ausência dele na Batalha de Camlann era no final das contas responsável pelo falecimento de Arthur.

É dito que a prisão e/ou o local onde ele está enterrado está em baixo do Montículo de Merlin na Faculdade de Marlborough em Marlborough (Wiltshire), a Drumelzier em Tweeddale (a Escócia), Bryn Myrddin (a Colina de Merlin) perto de Carmarthen (Gales), Le de Tombeau Merlin (a Tumba de Merlin) perto de Paimpont (Brittany) e Ynys Enlli (Ilha de Bardsey) fora a Península de Lleyn (Gales).


Esta é a Lenda de Merlin mas conhecida, tendo outras que diziam que ele era um louco que tinha o dom de prever as coisas que iriam acontecer e que vivia nas florestas como um selvagem. Senda assim Merlin é um dos seres mais enigmáticos que existiu, onde até hoje ninguém sabe se ele existiu mesmo ou se é apenas uma Lenda, o que se sabe são apenas fragmentos sobre ele, e estórias confusas, na qual não se consegue definir a sua identidade. Tendo momentos de total lucidez como um sábio (como o de aconselhar Arthur como reinar em perfeita harmonia e a de falar com os elementais) e outras como a de uma pessoa que deixou-se ser enganado pelo sentimento deixando de lado a razão (como o de ter se apaixonado por Morgana e ensinado a ela a sua arte). Isto faz com que ele seja tão enigmático e carismático ao mesmo tempo, onde até hoje quando se fala logo em mago, vem na cabeça Merlin.


Rei Arthur e mago Merlin eram escoceses, revela historiador

2007 - Londres - O lendário Rei Arthur e seu mago Merlin eram escoceses, revelou um livro histórico publicado esta semana na Grã-Bretanha. De acordo com o historiador Adam Ardey, Merlin viveu no Século VI na rua Ardery Street do povoado de Partick, nas aforas de Glasgow, na Escócia.

Em seu livro "Finding Merlin - The Truth Behind the Legend" (Procurando Merlin - A Verdade Atrás da Lenda), Ardey revelou após seis anos de pesquisas que o lendário mago nasceu em 540 no povoado escocês de Hamilton, no condado de Lanarkshire, porém mais tarde se mudou para uma zona rural em Partick.

Para o especialista, os historiadores cristãos esconderam o segredo das raízes escocesas de Merlin devido às constantes batalhas entre a Escócia e a Inglaterra durante o período medieval. Além disso, ele concluiu que o Rei Arthur não era inglês, mas sim um Lorde escocês.

O mito do Rei Arthur passou à iconografia popular como sinônimo de inteligência, honra e lealdade. Sua espada (Escalibur) foi símbolo do poder legítimo, tanto que sua capital, Camelot, foi um lugar idílico de igualdade, justiça e paz. "As pessoas começam a rir ao mencionar Rei Arthur ou Merlin. Nenhum acadêmico respeitado de Cambridge vai estudar suas vidas, mas eu não sou um historiador profissional, assim, não tenho essa reputação. O que pretendi fazer foi dar sentido à história", acrescentou o escritor.

De acordo com o livro, Merlin foi filho de um chefe de clã escocês chamado Morken, que por sua vez era acadêmico e político, e que estava casado com Gwendolin. Ardrey disse que Merlin foi assassinado em 618 enquanto ia para Dunipace, em Stirlingshire, e foi enterrado em Drumelzier, na região conhecida como Borders.

O Rei Arthur teria sido um Lorde escocês que nasceu em 559, segundo dados encontrados pelo historiador na Biblioteca Nacional da Escócia. "Ele é retratado nos filmes como um rei inglês, mas isso está muito distante da realidade. Arthur se tornou famoso por lutar contra os ingleses. Quando encontrei a evidência não pude acreditar", acrescentou Ardrey.

Os historiadores britânicos consideravam que Merlin havia sido uma criação literária de Geoffrey de Monmouth, cujo livro "História dos Reis de Bretanha" no Século XII combinou tradições celtas e de Gales com a história de dois profetas chamados Myrddin e Ambrosius.

Logo que historiadores ingleses e franceses escreveram sobre a fábula do Rei Arthur no Século XIII, Thomas Malory publicou "Morte d'Arthur" em 1485, no qual descrevia Merlin como o principal conselheiro do rei. No Século XIX, o escritor inglês Tennyson o converteu no arquiteto de Camelot em "Os Idílios do Rei" e mais tarde o norte-americano Mark Twain o mencionou em "Um Yankee de Conecticut na Corte do Rei Arthur".

Mas agora, a nova investigação de Ardrey sustenta que o monarca teria sido escocês, e que levava saias. "Não digo que tenham que acreditar em minha teoria. Tudo o que fiz foi encontrar evidências da melhor maneira possível", explicou o historiador.

Ciclo Arturiano

Merlin (ou Merlim), personagem do Ciclo Arturiano, era um mago, profeta, conselheiro e grão-druida. Teve sua primeira aparição no século X, e segundo a lenda ele é filho de uma freira com um íncubo (demônio da Idade Média). Merlin herdou a beleza da mãe e a inteligência do pai.

Merlin, primeiramente, foi confundido com um louco chamado Myrddin, que se refugiou nas terras escocesas e lá fez muitas previsões para o futuro.

Lendas

Dentre as lendas urbanistas, Merlin foi conselheiro de Vortigern, Uther - o Pendragon, Morgana e Artur. Diz a lenda que Uther se apaixonou por Igraine, a Duquesa da Cornualha, mas o marido trancou-a em uma torre e Merlin fez com que Uther assumisse a forma de Gorlois, o marido de Igraine, o que permitiu que ele passasse uma noite com a duquesa. Deste estranho adultério nasceu Artur.


Merlin tinha uma propriedade conhecida como Avalon (Glastonbury). Em Avalon ou Ynys Wydryn, ele tinha seus sacerdotes e sacerdotisas, fazia seus feitiços e recebia sonhos em sua torre conhecida como Tor (Colina de Glastonbury). Merlin não era o nome desse mago, mas sim sua condição, havia uma lei druida que dizia que o mais sábio, mais inteligente e mais poderoso chegaria a condição de Merlin. E em Avalon só existia esse homem que por assim ficou conhecido como Merlin

Merlin

O mago Merlin conhecia mistérios do céu e da terra, da vida e da morte, dos homens e dos deuses. Alguns o chamavam de feiticeiro, outros achavam que ele era um santo. Todos, porém, o reconheciam como um dos homens mais sábios desde tempos imemoriais. O papel do Merlim na trama a partir daí não era o de fazer magia e feitiços, mas sim de mostrar ao seu povo que ele continuava junto ao rei e com isso assegurar a paz entre o reino e os povos antigos, os tornando aliados incontestáveis. O Merlim era um título e não um homem, é bom que isso fique muito bem claro.

Na Britannia

Segundo As Crônicas de Artur, de Bernard Cornwell, o sonho de Merlin era expulsar os saxões e cristãos da Britannia (atual Inglaterra) e isso só poderia ser feito se ele encontrasse os Treze Tesouros da Britannia, sendo que o último que faltava era o Caldeirão de Clyddno Eidin. Juntando os Treze Tesouros da Britannia, segundo Merlin, a mesma seria devolvida aos deuses. O Caldeirão foi encontrado, mas a traição veio de onde Merlin menos esperava. Nimüe (também confudida como Vivien, Viviane ou Nimueve), A Dama do Lago e sua amante, roubou o Caldeirão, aprisionou Merlin em um carvalho e morreu tentando usá-lo.

O Bardo Verdadeiro – O título bardo é na verdade de origem celta e os bardos verdadeiros, os da Idade Média, são na verdade membros deste povo. Os celtas eram um povo branco que surgiu séculos antes de Cristo, na região central da Europa, tendo chegado a conquistar boa parte do continente e saqueado, inclusive, a cidade de Roma, em pleno período dourado do Império Romano. Com o passar dos séculos tiveram suas terras originais conquistadas por outros povos e seu território limitado à Bretanha, a ilha que hoje abriga o Reino Unido (ou Grã-Bretanha).

Os celtas eram politeístas, com crenças baseadas nas forças da natureza. Sua religião é extremamente conhecida mesmo hoje: os druidas, assim como os bardos, vêm da tradição religiosa deste povo. O que se convencionou chamar de druida praticamente personifica os sacerdotes celtas, apesar de algumas controvérsias: existe uma outra tradição, supostamente originária em Atlântida, a mitológica ilha que se localizaria quase no extremo norte do Oceano Atlântico, que também utiliza o título de druida; então o nome não é exclusivo dos celtas. Os bardos fazem parte das duas tradições de forma semelhante, de modo que vamos utilizar a tradição celta como base.

Os druidas eram sacerdotes e sacerdotisas celtas. Seus ritos eram realizados em florestas e locais de natureza intocada, de preferência próximos a carvalhos antigos (o nome druida significa adoradores do carvalho). Acreditavam em vários deuses, mas que a soma de tudo o que existe provinha de uma divindade unificada; esta divindade não possuía sexo, mas os druidas reverenciavam o aspecto criador e pacificador, características que desde tempos imemoriais (o Cristianismo foi a primeira religião a mudar isto) estão ligadas ao aspecto feminino da divindade: a Deusa.

Os bardos eram, simplificando, aspirantes a druida. Para um homem, o caminho do bardo era o caminho a ser percorrido para se tornar um druida, um caminho em que se dedicava às artes e ao conhecimento. Os bardos atuavam como conselheiros do “reis” celtas, e ao mesmo tempo, como “bobos da corte”, distraindo os nobres e o povo com suas músicas e poemas. Quando ascendiam ao posto de druida, deixavam estas funções para se dedicar ao culto da Deusa, enquanto serviam como mestres para um novo aprendiz, um novo bardo.

A tradição druida também está fortemente ligada ao uso de rituais e efeitos mágicos e os bardos também lidavam com rituais desse tipo. De fato, o termo bruxa inclui as mulheres druidas e o maior “mago” da Idade Média não era na verdade mago, e sim um bardo: Merlin era um título usado na Bretanha para designar o alto conselheiro do rei. O mago Merlin das lendas do Rei Arthur foram, na verdade, dois: Taliesin e Kevin, ambos bardos que se tornaram druidas (e não magos). Taliesin é o “Merlin” normalmente retratado nas histórias de Arthur (sendo considerado o maior bardo de todos os tempos), mas Kevin, seu aprendiz, um aleijado com as mãos e pés deformados mas que tocava sua harpa de forma divina (sendo portanto um bardo sensacional), também ocupou o cargo de Merlin e foi, inclusive, decisivo na derrocada de Arthur. O bardo está tão enraizado na cultura bretã que, até meados de século passado, ainda eram realizados pela Coroa Inglesa concursos para premiar os melhores bardos do Reino Unido.

Enfim, o bardo verdadeiro está ligado intimamente à natureza, sendo um ministro da religião celta, assim como um padre o é para os católicos. Aliás, aproveitando esta analogia, vamos falar sobre os menestréis.

Stonehenge

Existem outras lendas atribuidas a Merlin como a da construção de Stonehenge, o famoso círculo de pedras na Inglaterra. Já se especulou que Stonehenge foi construída por druidas e alienígenas, mas existem lendas que contam que as pedras foram transportadas do País de Gales através do ar pelo mago Merlin no ano 300 a.C.

Os primeiros registros existentes onde consta Merlin (Armes Prydein, Y Gododdin) são do começo do século 10. Neles consta que Merlin era um mero profeta, mas o papel dele foi evoluindo gradualmente como mago, profeta e conselheiro, ativo em todas as fases da administração do reinado do Rei Arthur. Ele foi aparentemente chamado ao nascer com o nome de Emrys num local chamado Caer-Fyrddin (Carmarthen). Só depois ele tornou-se conhecido como Merlin, uma versão latinizada da palavra gaulesa, Myrddin.

Merlin era o filho bastardo da Princesa Real de Dyfed. Porém, o Rei, pai da princesa, Meurig ap Maredydd ap Rhain, não é encontrado nas genealogias tradicionais deste reino e provavelmente era um sub-rei da região que limita Ceredigion. O pai de Merlin, é dito, era um anjo que tinha visitado a Princesa Real e tinha a deixado com a criança. Os inimigos de Merlin diziam que o pai dele era um incubus, um espírito mau que tem relacionamento com mulheres enquanto dorme. As pessoas suspeitavam que a criança "diabólica" (Merlin) veio para ser um contra peso à boa influência que Jesus Cristo teve na terra. Merlin, felizmente, foi batizado cedo em vida. É contado que este evento negou o mal na natureza dele, mas os poderes do lado esquerdo ficaram intactos nele. A história original foi inventada para salvar a mãe dele do escândalo que teria acontecido presumivelmente à ligação dela com Morfyn Frych (o Sardento), Príncipe secundário da Casa de Coel, ato de conhecimento público.

A lenda nos conta que a retirada romana da Inglaterra e a usurpação do trono dos herdeiros legítimos fez com que Vortigern fugisse da Saxônia e fosse para Snowdonia, em Gales, na esperança de construir uma fortaleza em uma montanha em Dinas Emrys onde ele poderia estar seguro. Infelizmente, a construção vivia desmoronando e os feiticeiros da casa de Vortigern lhe falaram que um sacrifício de uma criança órfã resolveria o problema. Uma pequena dificuldade foi isto, pois aquelas tais crianças eram bastante difíceis de serem encontradas. Felizmente para a fortaleza de Vortigern, Merlin era conhecido por não ter nenhum pai humano e o disponibilizaram.

Antes que o sacrifício pudesse acontecer, Merlin usou os grandes poderes visionários dele e atribuiu o problema estrutural a uma piscina subterrânea no qual viveu um dragão vermelho e um dragão branco. O significado disto, de acordo com Merlin, era que o dragão vermelho representou os Bretões, e o dragão branco, os Saxões. Os dragões lutaram, o dragão branco levou a melhor no princípio, entretanto o dragão vermelho empurrou o branco para trás. O significado estava claro. Merlin profetizou que Vortigern seria morto e o trono seria tomado por Ambrosius Aurelianus, depois Uther e logo depois o grande líder Arthur. Caberia a ele empurrar os saxões para trás.

De acordo com a profecia, Vortigern foi morto e Ambrosius tomou o trono. Depois, Merlin parece ter herdado o pequeno reino do avô dele, mas abandonou as terras dele em favor da vida mais misteriosa para a qual ele se tornou tão bem conhecido (a vida druídica). Depois que 460 nobres britânicos foram massacrados na conferência de paz como resultado do artifício saxônio, Ambrosius consultou Merlin sobre erguer um marco comemorativo a eles. Merlin, junto com Uther, levou uma expedição para a Irlanda para obter as pedras do Chorea Gigantum, o Anel do Gigante. Merlin, pelo uso dos poderes extraordinários dele, devolveu as pedras para um local um pouco a ocidente de Amesbury, e os reergueu ao redor da sepultura da massa dos nobres britânicos. Nós chamamos este lugar de Stonehenge.

Após a sua morte, Ambrosius teve como sucessor o seu irmão Uther, que durante a perseguição dele a Gorlois conheceu a sua esposa irresistível, Igraine (Ygerna ou Eigr em alguns textos). Uther voltou para as terras em Cornwall onde foi pedir para Merlin ajudá-lo a possuir Igraine e, para tanto, teve que fazer um trato com Merlin de que a criança que nascesse da união do casal fosse dada a Merlin, que seria seu tutor. Uther aceitou e foi ajudado por Merlin que o transformou na imagem de Gorlois. Uther entrou no castelo de Gorlois e conseguiu enganar Igraine a pensar que ele era o marido dela, e engravidou-a, concebendo ela uma criança, Arthur. Gorlois, no entanto, não sabendo o que iria acontecer, saiu para encontrar-se com Uther no combate, mas ao invés disso foi morto pelas tropas de Uther, enquanto este se passava por Gorlois.

Depois do nascimento de Arthur, Merlin se tornou o tutor do jovem menino enquanto ele crescia com o seu pai adotivo, Senhor Ectório (pseudônimo Cynyr Ceinfarfog). No momento definido da carreira de Arthur, Merlin organizou uma competição da espada na pedra (a espada era Caliburnius e não a Excalibur, Excalibur veio após Arthur quebrar Caliburnius) pela qual o rapaz se tornou o rei. Depois, o mago conheceu a mística Dama do Lago na Fonte de Barenton (na Bretanha) e a persuadiu a presentear o rei com a espada mágica, Excalibur.

Nos romances, Merlin foi o criador da Távola Redonda, e esta sempre ajudando e dirigindo os eventos do rei e do reino Camelot. Ele é pintado por Geoffrey de Monmouth, ao término da vida de Arthur, acompanhando Arthur ferido para a Ilha de Avalon para curar das feridas dele. Outros contam como tendo se apaixonado profundamente por Morgana, a meia irmã de Arthur, concordando em lhe ensinar todos seus poderes místicos. Ela ficou tão poderosa que as habilidades mágicas dela "excederam" às de Merlin. Determinou que não seria escravizada por ele e prendeu-o em um calabouço, uma caverna semelhantemente a uma prisão. Assim a ausência dele na Batalha de Camlann era no final das contas responsável pelo falecimento de Arthur.

É dito que a prisão e/ou o local onde ele está enterrado está em baixo do Montículo de Merlin na Faculdade de Marlborough, em Marlborough (Wiltshire), a Drumelzier em Tweeddale (a Escócia), Bryn Myrddin (a Colina de Merlin) perto de Carmarthen (Gales), Le de Tombeau Merlin (a Tumba de Merlin) perto de Paimpont (Brittany) e Ynys Enlli (Ilha de Bardsey) fora a Península de Lleyn (Gales).

Esta é a lenda de Merlin mais conhecida, tendo outras que diziam que ele era um louco que tinha o dom de prever as coisas que iriam acontecer e que vivia nas florestas como um selvagem. Sendo assim Merlin é um dos seres mais enigmáticos que existiu, onde até hoje ninguém sabe se ele existiu mesmo ou se é apenas uma lenda, o que se sabe são apenas fragmentos sobre ele e estórias confusas, nas quais não se consegue definir a sua identidade. Tendo momentos de total lucidez como um sábio (como o de aconselhar Arthur como reinar em perfeita harmonia e a de falar com os elementais) e outras como a de uma pessoa que deixou-se ser enganado pelo sentimento deixando de lado a razão (como o de ter se apaixonado por Morgana e ensinado a ela a sua arte). Isto faz com que ele seja tão enigmático e carismático ao mesmo tempo, onde até hoje quando se fala logo em mago, vem na cabeça Merlin.


Profundo mistério

Um profundo mistério envolve tanto as origens como a própria vida desse personagem lendário Myrddhinn, Myerddin ou Meerzin para alguns e Merlim para a maioria dos estudiosos.

A versão mais comum faz um bardo gales, embora em algumas referencias seja citado como bretão. Faltam dados precisos até apra localizar a época em que ele viveu: para alguns, isso ocorreu na primeira metade do século V, outros defendem a tese de que foi no final desse século ou começo do seguinte.

A lenda diz que sua mae era uma princesa enterrada em um convento e que o teria gerado virgem, sendo deu pai um desconhecido. Outra versões o fazem filho do demonio com uma inocente menina.

Na realidade, sua figura deve ser o resultado da fusão de mais de uma tradição, ja que a primeira referencia escrita data apenas do século XIII, qunado o poeta Robert de Borron o coloca no centro de sua Trilogia sobre o Graal, embora o poema "Merlim" nao tenha chegado inteiro até os dias de hoje.

Em sua infancia, Merlim teria sido educado na corte do Rei Vortigem, ao qual, em retribuição, reveou o segredo das fundações inseguras da torre de seu castelo. Adulto, o dom da previsão tornou-o amigo, mestre e protetor do lendário Rei Arthur.

Apaixonado por viviana, a mulher do lago, preparou um sepulcro inviolável e encantado para quando morressem. A mulher, entretanto, enganou o amante, deixando-o enclausurado vivo no Mausoléu, do qual, segund a lenda, só poderá sair no dia do Juizo Universal.

As profecias de Merlim, ao que parece, foram edidtada em Veneza por volta de 1279, mas nao conseguiram grande repercussão por serem muito herméticas, estranhas e até satíricas.

A maior parte dessas mensagens ja se teria concretizado, como a invasão saxonica da Britania, as guerras civis britanicas, a invasão dinamarquesa e a conquista normanda. Outras (que no passado foram deixadas de lado) referen-se, ao contrário, a fatos do futuro e dos dias atuais.

A Época de Merlim

É um período que pode ser definido como "a época das grandes invasões", a Ilha Britanica, por exemplo, depois de ter sido abandonada pelos anglos e depois pelos saxoes, que empurram os celtas para o norte.

O império romano do ocidente é tomado de assalto pelos bárbaros. Os visigotos, liderados por Alarico, pilha a Grécia, entram na itália e chagam até roma que conquistam e saqueiam por tres dias. É 410 DC.

Quando a noticia chega a sao Jeronimo, o estudioso registra uma observação que ficou na história: " A cidade que conquistara o mundo havia sido por sua vez conquistada. Esse era o seu destino."

Depois é a vez de um povo particularmente selvagem continuar a obra de devastação do Império Romano do Ocidente. sao o s Hunos soba a liderança do rei átila, que acabam sendo derrotados por uma aliança das tropas romanas e de todos os bárbaros que ja estavam na Europa.

O desaparecimento de átila proporciona a tranquilidade necessária para que, no território do império, surjam os primeiros reinos romanobárbaros: os Vandalos, instalam-se na África, os visigotos e os Suevos na Espanha,os Francos e os Burgundios na gália.

Em 476 DC, Odoacro, cheve dos mercenários bárbaros a serviço de romulo Augustulo, imperador de roma, o depôe, mas nao consegue o dominio da Italia.

A façanha cabe a Teodorico, lider dos Ostrogodos, que toma o pais e la se intala, fundado um novo reino. É 493 DC. data que assinala o fim do império romano do Ocidente.

Fonte:http://www.jornaldamidia.com.br/noticias/2007/08/29/Especial/
http://www.sobrenatural.org/materia/detalhar/4047/mago_merlin/
http://www.anaflavia.com.br/dicionarioesoterico/profetas/magomerlin.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ULTIMAS POSTAGENS

Postagens populares

Seguidores

Total de visualizações de página

MELHORES DO YOU TUBE

Loading...

Arquivos do blog

A TERRA E A LUA AGORA

Minha lista de blogs